segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Manutenção do peso ou efeito sanfona: o que vem depois da foto "depois"?



Você já deve ter visto muitas fotos de "antes" e de "depois", em que as pessoas mostram como eram e como ficaram após um período de emagrecimento. O que essas fotos não mostram é o "depois do depois". Será que conseguiram manter o novo peso conquistado? Ou se tornaram vítimas do "efeito sanfona"?

Um estudo da UCLA (Universidade da Califórnia) aponta que de um terço a dois terços das pessoas recuperam o peso depois de uma dieta. Para Gary Foster, Ph.D., diretor clínico do Programa de Desordem de Peso e Alimentação da Universidade da Pensilvânia, aproximadamente 65% das pessoas que fizeram dieta voltam ao peso de antes em três anos (fonte aqui). Outro estudo, da Universidade Stanford, aponta que 80% das pessoas que conseguiram perder peso com dietas recuperam os quilos perdidos. Entre as que seguiram dietas muito restritivas (com severa redução de calorias ou redução da quantidade de alimentos permitidos para o consumo), somente 5% conseguem fugir do efeito sanfona (ver o mesmo link anterior).

E não estamos falando de pessoas sem força de vontade. Pelo contrário, são pessoas que conseguiram o que muitos não conseguem! É alarmante saber que a maioria desses heróis sucumbem depois da foto "depois".

Então, o melhor é recolher o máximo de informação e criar estratégias para não fazermos parte dessa trágica estatística. Aí vão algumas sugestões.

1. Perder peso é só a primeira etapa de um processo maior

Precisamos encarar nossa aventura como um processo de mudança de estilo de vida, e não somente de perda de peso. A perda de peso é apenas uma consequência de um modo de viver mais saudável.

Se você atravessar todo o período de dieta apenas pensando no ponteiro da balança, vai subitamente ficar sem objetivos quando chegar a fase da manutenção, em que o objetivo principal é não variar o peso. E ficar sem objetivos definidos pode dar uma sensação de perda de referências. Por isso, a perda de peso não pode ser a meta única para você. Se no início de sua dieta a motivação principal era o peso, ao longo dos meses essa motivação deve amadurecer.

O objetivo principal, ao longo da dieta, deve passar da perda de peso em si mesma, para o objetivo mais profundo de consolidar novos hábitos, principalmente novos hábitos alimentares e novos hábitos de exercícios físicos.

Pergunte-se se sua dieta está criando um perfil de alimentação que seja durável ao longo de sua vida. E faça o mesmo com os exercícios físicos. Comer salada de chuchu ou malhar todos os dias na academia pode servir por um período, mas você vai suportar isso para o resto da vida?

Isso ajudará muito no momento da transição da etapa de perda de peso para a etapa da manutenção. Essa transição precisa ser o mais suave possível. Você estará passando para uma nova fase (manutenção) simplesmente vivendo da forma como aprendeu a viver na fase anterior (perda de peso).

2. Tenha uma vida mais ativa

Segundo estudos do National Weight Control Registry, 90% das pessoas que conseguiram manter o peso depois de emagrecer fazem pelo menos 1 hora de exercícios por dia. Os exercícios são fundamentais porque o corpo reage à perda de peso de forma a tentar nos levar para um peso maior. "Uma pesquisa australiana divulgada em 2011, por exemplo, provou que, logo após perderem peso, as pessoas apresentam alterações hormonais que aumentam o apetite, desaceleram o metabolismo e fazem com que o corpo elimine menos gordura. Mas a principal descoberta do estudo foi a de que tais alterações persistem pelo menos um ano após o fim da dieta, fazendo com que muitos indivíduos voltem a engordar mesmo se continuam controlando a alimentação" (artigo da Veja). Assim, se o controle da alimentação sozinho passa a ser pouco para manter o peso, os exercícios físicos se tornam absolutamente necessários. Ajudam não somente a queimar calorias, mas a ganhar massa muscular, o que é muito importante para acelerar o metabolismo e evitar que o corpo trabalhe contra nosso objetivo de saúde.

O desafio parece grande? Calma, ele é maior ainda!

Pesquisas científicas indicam que não basta incluir uma hora de exercícios por dia para ter uma vida saudável. É importante também ter mais atividade ao longo do dia. Há evidências, por exemplo, que permanecer por muitas horas sentado traz alterações cardiovasculares e metabólicas negativas, independentemente da prática de exercícios físicos em algum momento isolado do dia.

Algumas sugestões para se movimentar mais durante o dia:
  • ative seu corpo por 5-10 minutos a cada hora, através de atividade simples como caminhar pelo escritório, alongar-se, descer e subir um ou dois lances de escada, etc. A ideia é movimentar-se com mais frequência, com pequenos objetivos.
  • aproveite as ocasiões para atividades físicas. Se o trânsito está ruim próximo ao local onde você deve desembarcar do ônibus, então pense em saltar um ou dois pontos antes; prefira subir escadas a usar elevadores. Aproveite as ocasiões, mesmo que seja algo bem simples.
  • finja que estamos em 1985. Se você tiver uma pergunta a fazer ao seu colega de trabalho, vá até a sala dele ao invés de enviar um e-mail; esconda o controle remoto e use as teclas da TV (ou simplesmente vá fazer algo ao invés de ficar sentado em frente a ela); etc.
  • fique de pé sempre que possível. Ao conversar no telefone, ao participar de reuniões, ao esperar a consulta médica. E por que não assistir TV de pé? Ficar de pé ativa mais músculos do que ficar sentado.
  • acelere seu fim-de-jornada. As últimas horas de trabalho costumam ser menos produtivas. Mas se você caminhar por 15 minutos quando faltarem duas horas para terminar seu trabalho, a produtividade tenderá a aumentar.
 
3. Mantenha um peso realista

Carga genética e ambiente influenciam no "peso ideal" de cada pessoa. Muitas vezes, o efeito sanfona acontece porque a pessoa luta para manter um peso que não corresponde à sua própria fisiologia.

4. Monitore seu peso e estabeleça um teto de alerta

Ainda segundo o National Weight Control Registry, 75% das pessoas que conseguiram manter o corpo conquistado com a dieta se pesam, em média uma vez por semana.

O que a balança significa para você? É ela um juiz que está sempre pronto a condenar ou absolver? Ou é uma amiga que oferece feedback de como está sendo sua dieta, para que você possa aprender sempre mais?

Não fuja da sua amiga! Muitas pessoas evitam se pesar quando sentem que estão engordando. Como o avestruz, acreditam que não encarar a realidade será menos doloroso. Não caia nesse erro, que pode ser fatal!

As variações são naturais na vida. Ganhar um pouco de peso nas férias, por exemplo, é totalmente aceitável. Apenas estabeleça um teto de alerta. Se chegar a esse limite, reforce os exercícios, volte a uma alimentação mais atenta, até se colocar nos eixos novamente. Você já saberá o que fazer para diminuir o peso novamente, até sua zona de conforto.

5. Diminua seu tempo diante da TV e do computador

Ainda segundo o National Weight Control Group, três em cada cinco pessoas que conseguem manter o peso assistem menos do que 10 horas de televisão por semana.

Estar diante da tela (seja da TV, do computador, do tablet, do smartphone, etc) é a condição perfeita para comer um tira-gosto e, além disso, estimula um estilo de vida sedentário. Muitas pesquisas indicam uma associação entre o hábito de assistir TV e o surgimento de doenças. Por exemplo, pesquisadores australianos estudaram os hábitos de 8.800 adultos e chegaram à conclusão de que cada hora desperdiçada em frente à TV, quando o hábito é diário, está associada ao aumento de 18% do risco de morte por doenças cardiovasculares.

Procure passatempos que sua mente não associe com comida e amplie seus horizontes!

6. Previna-se do stress

O stress faz com que o corpo produza hormônios que, em excesso, estimulam o apetite e diminuem o controle sobre o que se come. Um estudo publicado no Biological Psychiatry demonstrou que o stress leva ao aumento da insulina (que favorece o acúmulo de gordura) e dificulta que a oxidação da gordura (responsável pela transformação da gordura em energia). Além disso, o stress provoca o aumento do cortisol, hormônio que, em excesso, leva ao acúmulo de gordura abdominal.

Alguns hábitos que ajudam a prevenir o stress:
  • alimentação balanceada
  • atividade física
  • dormir bem
  • respirar melhor
  • deixar o celular de lado
7. E seguir as dicas para uma dieta de sucesso...

Além dessas dicas mais diretamente ligadas à fase da manutenção, todas as dicas utilizadas para a dieta também se aplicam, cada uma a seu modo, na fase da manutenção. Assim, continua importante participar de um grupo de apoio, comer lentamente, anotar o que se come, planejar as refeições com antecedência, deixar comidas saudáveis já preparadas para fácil acesso, organizar os ambientes em que vivemos para facilitar a dieta, e muitas outras sugestões que encontramos por aí.

Com tudo isso, poderemos estar mais preparados para essa fase difícil e conseguir a vitória definitiva sobre a obesidade. Boa sorte pra vc!

sábado, 12 de setembro de 2015

Como lidar com a compulsão na dieta: identificando os gatilhos alimentares e criando estratégias de sucesso



A compulsão alimentar pode ser coisa de momento ou pode ser uma patologia. Para os casos de verdadeira patologia, um médico ou psicólogo precisa ser consultado. Mas para a compulsão nossa de cada dia, a principal dica é identificar os gatilhos alimentares e criar estratégias para enfrentá-los.

Os gatilhos alimentares são situações ou alimentos que desencadeiam um descontrole sobre o ato de comer. Esses gatilhos dão origem à compulsão que, em um piscar de olhos, pode arruinar uma semana inteira de esforço na dieta.

Pelo que entendo, as "situações" que servem como gatilho podem abarcar tanto ambientes quanto estados psicofísicos em que a pessoa se encontra. Por exemplo:

Ambientes:
  • - cinema
  • - casa da mãe
  • - sala de TV
  • - festas, passeios e comemorações
  • - lanchonetes e restaurantes específicos

Estados psicofísicos:
  • - fome
  • - cansaço
  • - tristeza
  • - insônia
  • - ansiedade

Após identificar os seus principais gatilhos, é hora de sentar e planejar como vai enfrentá-los. Vou contar como faço para lidar com três dos meus principais gatilhos:

Quando vou visitar meus pais, primeiro faço um lanche muito reforçado e light. Por exemplo, como muuuita verdura e um suco verde, privilegiando fibras, e eventualmente também alguma proteína. Esses alimentos prolongam em mim a sensação de saciedade por mais tempo. E sei que na casa deles sempre tem frutas. Então, antes de ter o primeiro sinal de fome, já roubo uma banana, uma pêra, etc. E bebo bastante água. Assim, vou a esse ambiente e me mantenho nele com muito mais capacidade de resistir à compulsão que ele me gera. Quase sempre ganho com facilidade a batalha.

Identifiquei também que o relaxamento me causa compulsão. Quando termino algum trabalho e relaxo, aí vem uma louca vontade de comer tudo pela frente. Então, identifiquei quais são os momentos do meu dia em que me sinto relaxado (quando chego em casa do trabalho; quando consigo colocar as crianças para dormir sem embarcar no sono junto, etc.), e me alimento antes com alguma fruta ou algo que me sacie.

Contra a fome, simplesmente como a cada 3 horas, ou no máximo 4 horas. Quando estou fora da minha rotina, programo o despertador do celular e organizo algumas refeições que fiquem à mão para o reabastecimento do corpo.

Fui aprendendo essas estratégias com o tempo. Sempre analisei essas situações e busquei como reagir a elas. Planejamento, autoavaliação, estabelecimento de objetivos concretos, tudo isso ajuda bastante.

Analisando as estratégias que adotei, normalmente utilizo a saciedade como minha principal arma nessa batalha. Sim, a saciedade está presente nas três estratégias que citei. Por isso, quando as pessoas comentam que eu emagreci e perguntam se eu "fechei a boca", sempre digo que não, que eu abri a boca. Que se eu não comer, eu engordo. Elas acham graça, porque normalmente as pessoas associam a perda de peso com "não comer", mas é o contrário. Pelo menos pra mim. A saciedade é a chave das minhas vitórias alimentares. Se eu não comer, eu engordo!



quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Sem ansiedade para emagrecer. Focar na consolidação de novos hábitos.



O caminho parece longo, mas se constrói a cada dia, cada passo, cada vitória e, por que não?, também com o aprendizado de cada derrota. No último natal, ganhei camisas XGG e ficavam justas. Agora, em agosto, tive que renovar minhas roupas e comprei camisas tamanho P, que caíram muito bem. No natal passado, eu jamais poderia imaginar que isso seria real em agosto!

Nunca me preocupei com prazos, mas com consolidação de hábitos saudáveis. Sempre pensei que seria a longo prazo, mas agora, olhando pra trás, o caminho até parece curto (em termos de tempo). Estou muito feliz com isso. Estou encerrando uma 1a fase muito difícil, que é a de perda de peso. E me preparando psicologicamente para a 2a fase, que espero começar em cerca de 10 semanas, quando espero ter perdido os últimos 5kg que me faltam. Essa 2a fase é a da manutenção do peso, que considero que levarei 1 ano para vencer.

Tem um ditado em italiano muito bom, que ensina muito e que serve para a minha situação: chi va piano, va sano e va lontano (que vai devagar, vai saudável e vai distante).

Emagrecimento: fechar a boca não dá certo


Que mensagem essa imagem passa pra vc? Pra mim, passa a ideia de tensão (repare a testa franzida) por achar que é preciso "fechar a boca" para melhorar as próprias medidas. Quem faz isso aí está, na minha opinião, fadado a fracassar no projeto do emagrecimento.

Eu já tinha escrito aqui sobre a importância de comer para emagrecer, pois me dá saciedade e me permite fazer escolhas mais conscientes. Agora que emagreci muito, muitas pessoas me elogiam e comentam: "pois é, eu também tenho que fechar a boca".

Fechar a boca? Eu não fechei a boca pra perder meus 30kg. Respondo sempre que eu abri a boca. Abri para coisas mais saudáveis, para experiências gratificantes.

Uma grande falha que eu tinha antes, quando não conseguia engrenar em uma "dieta", era pensar o que estou perdendo. Dizer que é preciso "fechar" a boca ressalta apenas o lado negativo de uma reeducação alimentar, que aumenta a sensação de perda e serve como uma armadilha que detonará na primeira tentação. Por isso, é importante sempre lembrar o positivo, as boas conquistas, a saúde, a roupa mais bonita, os elogios. Por isso, a resposta é: preciso abrir a boca e comer bem!

É o que respondo para as pessoas. Pelo menos, é a minha experiência, que compartilho pois talvez possa dar certo também para outros.

EmagreciMente. Preparando minha cabeça para a fase da manutenção


Eu estava aqui revendo um desabafo que fiz no FatSecret: "Frio dá fome, né? De novo, tem passado pela minha mente aquela velha ideia: poxa, tanta gente comendo à vontade sem problema nenhum (inclusive AQUI DENTRO DA MINHA CASA)... será que terei que ficar controlando o que vou comer o resto da vida?"

Reproduzo, abaixo, os comentários mais relevantes de companheiros presentes naquela rede social. Relendo, vou recuperando na minha mente algumas ideias para me preparar para a fase de manutenção, que está chegando.

Nota: antes de continuar lendo, saiba que depois fiz um estudo sobre manutenção do peso que me ajudou bastante. Está aqui. Recomendo muito!

RogerPaixão: "Danilo... as doenças crônicas estão muito relacionadas ao peso MAS mtos q acham q comem livremente serão vítimas tb... os artigos tem mencionado alzheimer como uma diabete tipo III pq ñ dá indícios de q está chegando... estamos ficando doentes... #infelizmente".

MarcelleNB: "Nem fala Danilo... Fome não, mas o frio me dá mta vontade de comer besteiras. E que tortura ver as pessoas em volta se deliciando... Pensa que é temporário, pois quando vc estiver em manutenção poderá tirar um ou dois dias da semana para aproveitar também!!! \o/"

Eu: "Marcelle, eu tenho medo da fase de manutenção rsrs"

MarcelleNB: "Manutenção é vc mudar seu estilo de vida, não tem jeito, é pra vida toda, pois do contrário, o peso volta mesmo. Só o que muda é que, como não há mais necessidade de perder peso, vc pode fazer algumas concessões. "

FlaviaSerra: "Danilo.. Acho que para sua pergunta a resposta é sim.. Mas você aprende.. Nunca fui gorda na minha vida até os 34 quando engordei quase 20 kgs mas já emagreci.. Mesmo quando já era magra tinha sim que CONTROLAR. Abusou em um dia, preste mais atenção no dia seguinte... Frio dá fome, sim, e como, mas é a melhor época para emagrecer.. Se está difícil ingerir salada, opte pela sopa de legume. Se bater a compulsão, opte por legumes ou proteínas.. Mas saiba que CONTROLAR o que se come (mesmo comendo de tudo e tudo), chama-se DIETA, e isso sim é pra sempre. muito diferente da fase de "emagrecimento". Quando chegar na manutenção, como disse a Marcelle vc precisará sim de muita disciplina, mas seu corpo e sua mente se adaptam a isso.. No ritmo em que você está é sucesso na certa.. Acompanho seus posts e sua disciplina.. Vamos lá.. Estou com você ;) "

Eu: "Marcelle e Flávia, obrigado. O que me assusta ao pensar na fase da manutenção é o receio de eu "relaxar" e, pouco a pouco, voltar aos velhos hábitos prejudiciais. Mudar a mente é muito mais difícil do que mudar o corpo, pelo menos pra mim é assim. já mudei muita coisa, mas talvez lá nos porões da minha psique existe aquele "gordo adormecido" pronto pra, sorrateiramente, a cada pequena concessão, voltar com força (e peso) total. Esse meu receio é bom, muito bom, pois me deixa alerta para o perigo. Ainda não sei que estratégia vou usar nos primeiros meses/anos de manutenção. Já estou excluindo da minha mente a ideia do "dia do lixo". Nada contra quem faz assim, mas no meu caso sei que isso vai ser uma porta de entrada para concessões aparentemente inocentes. Eu tenho procurado comer de tudo, como vc falou, Flavia. Ontem mesmo, comi sorvete à noite. Sempre calculando os pontos (faço Vigilantes do Peso). Isso é lixo? Sim e não. Objetivamente, é lixo sim, pq traz para o meu corpo um monte de coisa que não presta. Subjetivamente não, porque me ajuda na regulação da "mente", pois se eu excluísse tudo de uma vez, certamente viraria uma panela de pressão e em algum momento a compulsão seria mais forte. Ao longo desses meses, percebi que fui diminuindo certos "lixos" naturalmente. Me refiro principalmente a refrigerantes. Eu até posso tomar os zero, pq, pra efeitos de pontos, eles não contam. Mas contêm muita porcaria. Por iniciativa própria, quase que naturalmente, fui torcendo o nariz para eles e diminuíram bastante. É uma esperança de que isso aconteça com outros lixos. "

MarcelleNB: "Tenho uma gorda bem acordada na minha psique kkkkkkkk!!! O receio de voltar a ser o q era antes é bom sim na fase de manutenção, pois é o que realmente freia. Quanto ao dia do lixo, eu tbm sou contra. Nos dias em que me dá vontade de comer porcarias eu simplesmente como, e compenso nos dias seguintes, mas não agendo o tal dia. Às vezes passo semanas sem dar uma escapada se quer, não me dá vontade de comer as tais porcarias, então não como. Mas há dias em que só sinto vontade de comer besteiras, então eu libero um pouco, até pra não ficar estressada com a situação rssss. Fica tranquilo que quando chegar a sua hora você vai encontrar seu ponto de equilíbrio e a SUA forma de fazer a manutenção."  

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Riscos assumidos.

Andei tomando decisões um pouco arriscadas em uma mesma semana. Ontem, amigos em casa, fizemos pizza. Me plenejei bem durante o dia para diminuir quantidade de coisas que somam pontos e fui muito bem. Mas na hora da execução, dei uma bobeira e acabei não contando os pontos. Estava muito confiante, pq tinha muitos pontos pra usar. Foi um erro. Vamos ver amanhã na hora da balança rsrs

Atualização: me pesei em 14 de maio (dia seguinte a esta postagem), e perdi 1kg em uma semana. Feliz por não ter havido danos e por ter aprendido com essa experiência.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Eu já não derreto assim


Tem certas coisas que os gordos passam e que é vergonhoso falar. Queria uma experiência de vergonha e vitória.

Eu adoro sorvete. No verão, eu gosto de caminhar pela rua tomando um Corneto ou um Magnum. São bem calóricos. De vez em quando compro e saio pela rua comendo. Mas sempre tinha um gosto amargo:a vergonha diante das pessoas. Na minha mente, as pessoas poderiam olhar para mim e pensar: coitado, olha esse gordo engornando ainda mais. Era um sentimento de culpa por estar comendo algo que estava me matando (pois a obesidade traz muitas doenças), e eu acho que eu projetava esse sentimento de culpa nos outros. Comer um sorvete na rua sempre tinha, pois, um gosto amargo. Era gostoso da boca, mas havia um incômodo no ar.

E qual a minha vitória? Parei de tomar sorvete? NÃO!! Essa semana emagreci 1,2Kg, mas comi sorvete no dia 26/02 (120 gramas, uma xícara transbordando), no dia 27/02 (outra xícara transbordando), no dia 01/03 (além da mesma quantidade de sorvete, também comi batata Pringles - 50g), no dia 02/03 (um Corneto na rua, razão dessa minha postagem).

A vitória foi ter emagrecido? Isso foi sim uma vitória, mas queria registrar uma vitória psicológica muito importante para mim. Nesse dia 02/03, o Corneto que comi na rua, não tinha o gosto amargo. Eu não me sentia culpado. Sabia que podia comer, que era algo prazeiroso que não precisava ser demonizado. Afinal, eu estava comendo tudo saudável, contando meus pontos do Vigilantes do Peso direitinho. Minha alimentação muito saudável, com muita verdura, legume, frutas, equilibrada enfim.

Estou muito, muito feliz.

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Nova pesagem e um conflito interior


Hoje, me pesei. Perdi 500g em uma semana. Foi a menor perda de peso semanal desde que iniciei minha jornada rumo a uma vida mais saudável, e isso me provocou um conflito interior que me lembra a cena que ilustra essa postagem. Vou deixar os personagens falarem por si mesmos. São as vozes conflituosas da minha mente:

- Só isso? Tanto esforço e tanto cuidado pra isso?
- É normal passar a perder menos peso, e até a passar por um platô. Pensa a longo prazo. Você está tendo uma vida mais saudável. Já não está percebendo isso?
- Não vale a pena. Você tem sido absolutamente exemplar na sua dieta. Se o resultado é esse, como vai ser sua vida? Vai viver com restrições, planejamentos e sem curtir os melhores momentos?
- Não é dieta, é reeducação alimentar. Você está curtindo esse momento, não está? As medidas começam a diminuir. Você está descobrindo novos sabores, tendo novas experiências. Leia seu blog e lembre-se! Não precisa ter pressa. É até mais saudável perder aos poucos. Você levou anos para chegar a essa situação, pode levar meses para perder o que precisa.
- Lembra daquele bolinho de bacalhau delicioso do Recreio do Bacalhau? Se vivendo monasticamente suas refeições, você só perde essa coisa ridícula de peso, o que vai acontecer quando quiser sair para comer dois ou três bolinhos? Essa é a vida que você quer?
- Então, vamos lembrar de tudo, amplia sua mente. Lembra como você já está podendo pegar sua filha no colo? Lembra que já está tendo mais disposição para brincar com os filhos? Não era isso o que você mais queria? E no futuro você vai poder monitorar melhor seu peso para se manter. O futuro, deixa pro futuro. Cada dia com seus próprios problemas.

E por aí vai. Percebi uma espécie de "baixa na imunidade", porque comecei a sentir uma vontade maior de comer algumas coisas depois da minha pesagem e desse conflito interno. É como se eu tivesse despertado para o desejo, mais do que antes, quando estava com um pique maior.

Talvez seja o caso de dar boas-vindas à realidade. Mas certamente é o momento de manter o foco no dia a dia, lembrar que estou tendo uma vida muito melhor e mais saudável, fazer memória de todas as coisas positivas alcançadas até aqui e não deixar a coisa escapar.

Na próxima pesagem, a perda de peso deve ser igual ou inferior. É porque passarei a me pesar na quinta-feira, então terei menos dias para perder peso. E também vou me pesar com roupa mais formal. Estava me pesando de bermuda  e devo passar a me pesar de calça comprida. Estou preparando minha mente para o fato de quase não ter mudança na próxima pesagem, focando na outra quinta-feira.

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Frutas grelhadas na brasa


Comentei aqui que queria fazer experiências de frutas, legumes e verduras grelhados na brasa, para churrascos. À medida que tiver tempo para pesquisar, vou colocando aqui o que mais me chamou a atenção.

No site Sua Dieta, encontrei as seguintes receitas, que chamaram minha atenção pela simplicidade:

Banana

- Deixe-a inteira com casca ou fatiada sem casca;
- Grelhe na churrasqueira ou na frigideira, ou asse em forno;
- Pincele com suco de laranja;
- Sirva quente, salpicada com canela.

Pêssego, kiwi e carambola

- Corte em fatias mais grossas;
- Grelhe na churrasqueira ou na frigideira;
- Pincele com suco de limão;
- Sirva quente ou frio.

Coco

- Corte em cubos;
- Grelhe na churrasqueira ou asse no forno;
- Pincele com água;
- Sirva quente ou frio, salpicado com canela.

Maçã e pêra

- Corte em tiras ou deixe-as inteiras sem casca;
- Grelhe na churrasqueira ou na frigideira, ou asse em forno;
- Pincele com suco de laranja;
- Sirva quente, salpicada com canela.

Manga

- Corte em pedaços grandes;
- Grelhe na churrasqueira ou asse no forno;
- Pincele com suco de maracujá;
- Sirva quente ou fria.

***

O site Green Me traz várias receitas de espetinhos "vegetarianos". Tive o trabalho de copiar
algumas fotos para incentivar.

1. Pêssegos
Se você não está acostumado com receitas extravagantes, vai parecer absurdo, mas os pêssegos podem ser grelhados em poucos minutos na churrasqueira. Fica uma delícia, basta cortá-los em fatias grossas e colocar no espetinho. Podem ser saboreados como sobremesa, ou para dar um toque de requinte à sua salada ou ainda para ser colocado em um espetinho mix de frutas ou mesmo em um espetinho de frutas, verduras, tofu e cogumelos. Use a imaginação e o seu gosto para combinar os ingredientes do espetinho vegetariano.

2. Abacaxi
Corte o abacaxi em fatias circulares com uma espessura de, pelo menos, meio centímetro. Unte a superfície de cada fatia com um pouco de azeite e cozinhe na grelha por alguns minutos de ambos os lados. Você vai descobrir que o abacaxi constitui um ótimo acompanhamento para o tofu, como ensina várias receitas orientais.

3. Cebola

As cebolas podem ser preparadas na grelha, mas com algumas dicas. Antes de colocá-las na churrasqueira, descasque, corte pela metade e ferva as cebolas até que fiquem macias. Depois disso, asse-as diretamente deitadas na grelha, pincelando azeite antes, por alguns minutos e virando com cuidado para que não se quebrem. Para fazer espetinhos, melhor usar cebolinhas inteiras e pequenas. Cozinhe antes em água fervendo por poucos minutos e coloque-as em espetinhos, regando com um pouco de azeite antes de grelhar.

4. Tomate

Tomates também ficam ótimos preparados na grelha. Além de colocá-los no espetinho, você pode também pode simplesmente cortá-los ao meio e colocá-los diretamente sobre a churrasqueira com a parte da casca para baixo. Depois de alguns minutos, vire-os para que fiquem bem assados. Tempere com as ervas (manjericão, orégano, salsinha e cebolinha) picadas e regue com um fio de óleo e sal.

5. Tofu

Antes de ser grelhado, o tofu deve ser deixado para descansar por pelo menos meia hora em uma marinada feita com molho de soja, azeite e ervas, dependendo do seu gosto. É aconselhável usar sálvia, louro, alecrim ou orégano picados. Adicionar à marinada uma colher de chá de vinagre de maçã ou uma pitada de açúcar mascavo para deixar o tofu crocante. O tofu, cortado em fatias, pode ser colocado diretamente na grelha, ou cortados em pedaços pequenos para serem colocados em espetinhos, alternando com tomate, pimentão, abacaxi, cebola... 

6. Seitan

O seitan, como o tofu, pode ser grelhado fatiado ou cortado em pedaços e combinado com legumes para preparar espetos. O primeiro passo para a sua preparação é, também como o tofu, marinar, o que pode ser feito com a combinação de vinho branco, vinagre de maçã, sumo de limão e uma pitada de pimenta-do-reino. O seitan terá que descansar na marinada por cerca de 45 minutos antes de ser grelhado.

7. Cogumelos

Os cogumelos são outro tipo de alimento adequado para ser cozido na churrasqueira, para propor uma variedade no menu carnívoro clássico do churrasco. Depois de lavados e limpos, os cogumelos (porcini são os mais adequados) devem ser deixados para descansarem em uma marinada de azeite, pimenta-do-reino, sal e salsa picada. Depois são colocados na grelha por alguns minutos e servidos quente. Podem ser cortados em pedaços e misturados com tofu ou seitan ou na preparação de espetos misturados com outros vegetais. 

8. Batatas

Para fazer deliciosas batatas grelhadas, corte-as em rodelas de cerca de meio centímetro de espessura e regue-as com azeite temperado com curry em pó, simplesmente misturando os dois ingredientes em um copo e mexendo. Coloque-as diretamente sobre a grelha. Ou colocadas longitudinalmente para que se fixem, se quiser fazer espetinho. Vire sempre, de um modo e do outro, para que se cozinhem bem. O fogo deve ser baixo se não, elas se queimam. Depois de prontas tempere com sal, alecrim, que é a especiaria que mais combina com batatas, e um fio de azeite.

9. Berinjela

Corte a berinjela em fatias finas, sem descascá-las e deixe-as descansarem dentro de um escorredor de macarrão por pelo menos uma hora cobertas com sal, para que eles percam o sabor amargo. Coloque o escorredor sobre uma bacia funda, pois as berinjelas irão perder água. Deixe-as marinarem em azeite temperado com hortelã e alho picado por pelo menos duas horas e coloque-as para grelharem no espetinho. Se colocadas diretamente na grelha elas podem grudar, neste caso vire-as com atenção para não desmancharem. 

10. Abobrinha

Não precisam de uma preparação especial antes de serem grelhadas na churrasqueira. Basta cortá-las circular ou longitudinalmente, untá-las levemente com azeite de ambos os lados e colocaá-las na grelha ou no espetinho por alguns minutos. Você pode fazer um espetinho misturando-as com berinjela, tofu e o que mais preferir. 

11. Aspargos

Uma vez que os aspargos estiverem limpos e cortados (removidas as partes duras, cerca de um centímetro da parte de baixo), basta colocá-los na grelha por alguns minutos até que fiquem macios e crocantes. Em seguida, regue com azeite de oliva, sal e gotinhas de limão a gosto.


12. Pimentões

Até os pimentões na grelha ficam com um sabor especial. Comparado a outros vegetais, levam mais tempo para ficarem prontos. Coloque-os inteiros na grelha e vire sempre até que casca fique marrom, quase queimada. Neste ponto, retire-os do fogo e deixe esfriar. Em seguida, despele-os com as mãos e remova todas as sementes. Com as mãos, corte-os em tiras, e misture-os no azeite com pimenta-do-reino, hortelã, sal e alho picado.


***

No site Terra encontrei um link (estranhamente em arquivo xml, talvez por se tratar de infográfico), com o seguinte:
Bassi: Além de carnes, a churrasqueira recebe de bom grado vários tipos de legumes, como abobrinha, cenoura, berinjela. “As tiras podem ser de 1 dedo de espessura e devem ficar 15 cm acima da brasa bem quente. Demora de um a dois minutos de cada lado”, afirmou Marcos Bassi, proprietário do restaurante Templo da Carne. “Só temperar depois que retirar da churrasqueira, principalmente com o sal, pois os legumes perdem bastante água com a brasa e o sal potencializa essa perda”, sugere Bassi. Wessel: O especialista István Wessel afirma que o tempero pode contar, além do sal, com pimenta e molho de ervas, ideais para esses legumes. “O melhor é cortar os legumes de comprido atentando à largura das fatias, que não podem ser finas de jeito nenhum. Experimente até cebolas, em fatias bem grossas”, afirmou Wessel. Outra sugestão de Wessel é grelhar até batatas e cenouras na churrasqueira. “Primeiro, deixar as batatas de molho por alguns minutos na água e sal. Depois, cortar em fatias de 1 cm, com casca, e colocar na churrasqueira para grelhar. Com a cenoura, cortar de comprido, dar uma leve e rápida cozinhada no fogão e levar à grelha. A abóbora japonesa também é opção, cortada em fatias grossas e com casca”, disse ele.
Bassi: Uma das sobremesas mais tradicionais servidas no restaurante Templo da Carne, de Bassi, é a fatia de abacaxi grelhado na brasa, com sorvete de creme. E a iguaria é fácil e simples de fazer. Corte uma fatia de aproximadamente de 10 cm da fruta. Descasque sem deixar os olhos da casca na fruta. Polvilhe com um pouco de açúcar cristal e canela em pó. Leve à grelha à altura de 15 cm. Mantenha até o lado de baixo tomar cor, depois vire. Quando o segundo lado também tomar cor, retire da churrasqueira, coloque num prato e corte em 8 fatias, como pizza. Afaste as fatias e no meio coloque duas bolas de sorvete de creme. Salpique um pouco mais de canela e açúcar cristal, se quiser. Enfeite o sorvete com uma folha de hortelã e o prato com canela em pau. 






 

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

Carnaval, churrasco e mais uma vitória


Tinha escrito aqui nessa postagem que vinha um churrasco em família e que eu precisava me preparar. Eu tinha colocado as seguintes estratégias para seguir:

1. Caminhar com intensidade nesses dias de carnaval.
Vitória. Caminhei todos os dias e consegui não só os 18 pontos inicialmente planejados, mas 20 pontos. Isso me ajudou a ir para o churrasco com confiança, sabendo que tudo estava a meu favor. Se tivesse ido sem essa "área de escape", provavelmente a experiência seria mais tensa e a chance de compensar a ansiedade com a comida ou com a fuga do convívio social seria grande.

2. Não fazer o lanche do meio da manhã, para economizar pontos. Comer fruta e legume (cenoura) antes de sair de casa, cerca de 1:30h antes do churrasco.
Consegui. Fiz meu café da manhã normalmente, com 7 pontos, e não fiz o lanche da manhã pontuado. Comi apenas uma laranja e, enquanto eu preparava a salada que ia levar (item 3, abaixo), aproveitei para comer um pouco de verduras. Cheguei lá com apetite menor. Claro que o cheirinho da brasa queimando já despertava um monte de lembranças, mas foi mais fácil segurar e manter o foco.

3. Preparar uma salada maravilhosa, dessas que tenho muito curtido comer, para levar e para consumir, um pouco antes do churrasco.
Mais um ponto! Fiz isso e, chegando lá, na hora em que o cheirinho da brasa começou a preencher o ambiente, comi a saladinha. Foi a parte mais desagradável, mas foi tranquilo. Por isso, creio importante aprender a fazer "verdes" grelhados e vou pesquisar sobre isso.

4. Focar só nos alimentos que eu adoooro, não comendo outras coisas que pontuem (por exemplo, não faço questão de farofa e de arroz).
Feito! Comi carne e, principalmente, drumets até ficar um pouco mais do que saciado, não comi linguiças, farofa ou maionese. Não tinha molho a campanha, o que fez um pouco de falta, mas nada demais. Comi um pouco de arroz para ter carboidrato. Mas muito pouco.

5. Quem sabe, levar uma batata doce para colocar na brasa ou seguir alguma receita de grelhados leves.
Isso não fiz. Era uma estratégia que não dependia de mim. E também, depois, achei que não seria conveniente fazer testes nessa situação. Mas já comentei com meu pai, que faz belos churrascos, de um dia fazermos um churrasco e experimentarmos algumas receitas de frutas, legumes e verduras grelhados na brasa. Apesar de não ter feito isso, o saldo do churrasco foi muito positivo, uma vitória mesmo. Se um dia conseguir colocar grelhados-zero-ponto, então vai ser demais!

Não posso avaliar a pontuação que consumi, porque não pesei as carnes. Mas considerando a sensação que tive no estômago e descontando a salada que comi antes, suponho que consumir uns 250g-300g de carnes. Somando com 3 brigadeiros que comi, suponho que consumi entre 32-34pontos. Com os 7 pontos que comi antes, no café da manhã, ainda teria uns 5 pontos para consumir durante o dia, sem usar nenhum dos 20 pontos extras que consegui com os exercícios. Como a carne dá sensação de saciedade por muito tempo, isso não foi problema algum: comi só algumas frutas e nenhum ponto.


domingo, 15 de fevereiro de 2015

Me preparando para a folia (gastronômica) de carnaval

Planejamento alimentar

Na próxima terça-feira, vamos ter um churrasco em família. Depois da minha experiência de ontem, decidi planejar com mais rigor o que vou fazer nesse dia para curtir o momento sem arrependimentos. E aí vão algumas coisas:

1. Caminhar com intensidade nesses dias de carnaval. Hoje já caminhei 1 hora e foi maravilhoso. Ganhei aproximadamente mais 6 pontos extras para consumir durante a semana, se eu quiser. No total, serão 18 pontos extras até o dia do churrasco, aproximadamente. Isso vai me blindar um pouco contra a ansiedade, nesse momento crítico.

2. Não fazer o lanche do meio da manhã, para economizar pontos. Comer fruta e legume (cenoura) antes de sair de casa, cerca de 1:30h antes do churrasco.

3. Preparar uma salada maravilhosa, dessas que tenho muito curtido comer, para levar e para consumir, um pouco antes do churrasco.

4. Focar só nos alimentos que eu adoooro, não comendo outras coisas que pontuem (por exemplo, não faço questão de farofa e de arroz).

5. Quem sabe, levar uma batata doce para colocar na brasa ou seguir alguma dessas receitas aqui.

P.S.: ver aqui a postagem sobre como foi o churrasco

Sinal de alerta



Hoje à noite fiz uma estripulia. Tinha 20 pontos ainda para consumir, às 21h. Como costumo dormir por volta das 22h, já estava errado. Preciso distribuir melhor minha pontuação ao longo do dia para não concentrar à noite.

Com tantos pontos ainda sobrando, consumi 100g de pipoca, o que dá 16 pontos. Se eu pensar em termos de "dieta", tudo bem, não saí da dieta. Mas se eu pensar em termos de "reeducação alimentar", então fiz errado, porque consumi muita pipoca. Espero me costumar e, até o final da minha vida, consumir entre 25g/50g de pipoca, o que já é bastante satisfatório. Não só pela pontuação, mas principalmente por causa do sal.

Este é um sinal de alerta, por dois motivos:
1. para não começar a relaxar com a qualidade do que como; e
2. para não perder o foco na reeducação alimentar. É fácil cair no erro de começar a ver a coisa como "dieta", mas não posso cair nesse erro.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Lições de uma experiência negativa


Ontem fui num restaurante de comida mexicana. Já tinha ido lá outras vezes com experiências muito positivas, em que pude aliar sabor, boa companhia e comida balanceada. Mas ontem foi diferente.

Eu tinha decidido comer uma carne. Escolhi um baby beef que parecia ser (e era) sem muita gordura. Na foto do cardápio, aparecia uma batata que parecia assada e uma salada. Perguntei ao garçon, e ele me disse que a batata era na verdade frita e me sugeriu mudar por arroz. Aceitei.

Mas o tal do "arroz mexicano" vinha com carne seca e a salada tinha muito queijo. Acabei estourando os meus pontos de forma não satisfatória e isso me deixou muito irritado. Eu não caí em tentação, mas fiz uma escolha ruim. péssima na verdade.

Como sempre faço, procuro tirar lições desse fato para, no futuro, criar estratégias melhores. Aí vão algumas coisas que pensei:

1. Perguntar ao garçon tudo, não só sobre o prato principal, mas também sobre os acompanhamentos. Eles já devem estar acostumados a clientes um pouco mais chatos...

2. Quando possível, consultar o cardápio do restaurante na internet e ir sabendo o que comer. Melhor do que decisão em cima da hora.

Vamos ver se vou conseguir colocar isso em prática...

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Um belo taco mexicano. Arriba!

Acredito que é muito importante fazer comidas gostosas e marcantes durante a reeducação alimentar. Me ajuda bastante, em termos psicológicos.

Fizemos esse taco mexicano nessa sexta de carnaval. Consumi 9 pontos muito bem consumidos (4 pontos da massa e 5 pontos de 100 gramas de carne).

Muito gostoso. Me deu vontade de comer mais, mas a alegria de ter saboreado algo tão gostoso e de estar avançando tão exemplarmente na dieta, além do fato de ter comido uma cenoura antes, que aliviou a fome, foram suficientes para passar por esse momento sem quase tensão nenhuma.


Obs.

Copo para dar sabor e nutrientes à água



Ao que parece, serve mais para dar um saborzinho à água, oferecendo também nutrientes. Ou será que faz suco mesmo? Mas acho que a preferência é por comer as frutas mesmo, quando possível, para aproveitar tudo o que elas têm a oferecer.








sábado, 7 de fevereiro de 2015

Nova pesagem e avaliação da semana que passou



Hoje, me pesei novamente. Perdi outro Kg!

Conseguindo monitorar tudo o que consumo. Consegui também consolidar a rotina de incluir verdura/legume/fruta em TODO lanche e refeição, o que me exigiu planejamento, principalmente para as refeições no trabalho. Comi batata Pringles num dia e pipoca em outro, calculadamente, como já registrei aqui, o que me mostra que estou realmente num caminho de reeducação em que passo a fazer escolhas inteligentes, comendo moderadamente aquilo que aguça meu desejo. Bastante feliz com essa semana, que encerrou meu 1o mês de "travessia".


terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Mantendo a reeducação alimentar com batata Pringles



Hoje meus filhos estavam em casa comendo uma batata Pringles, que eu adoro. Calculei a quantidade de pontos numa porção de 25g (que é suficiente para matar a minha vontade) e descobri que são apenas 4 pontos (posso comer 46 pontos diários e eu ainda tinha 22 pontos para consumir).
Eu tinha planejado comer uma salada e colocar azeite (que são 3 pontos), porque o azeite é bom para a saúde.

Cogitei então em substituir, comendo a batata e deixando de colocar azeite na salada. Claro que, pensando estritamente na saúde e de modo imediato, o eu não deveria fazer a substituição. No entanto, pensando a longo prazo e que a reeducação alimentar deve me permitir ter uma vida prazeirosa e com saúde, resolvi enviar mais essa mensagem para meu inconsciente e comi a batata. Não foi uma decisão tomada com a língua ou com a barriga. Foi uma decisão consciente.

No final do dia, ainda foi possível comer um pouco de castanha-do-pará, que me fornece os óleos e o bom colesterol que o azeite teria me fornecido.

Fico feliz de estar conduzindo essa reeducação de maneira consciente, planejada e focada.

sábado, 31 de janeiro de 2015

Atitude em relação aos sabotadores bem intencionados da dieta



Hoje, ouvi uma mulher dizendo que cortou relacionamento com uma prima por causa da dieta. As duas começaram a fazer dieta na mesma época, mas a prima desistiu. E sempre que estavam juntas, a prima oferecia guloseimas para a outra, que continuou firme e achou melhor não mais visitar a prima, cortando um relacionamento de muitos anos. "Eu tenho que gostar primeiro de mim", dizia ela.

Que tema delicado! Não a conheço profundamente para fazer qualquer juízo sobre esse comportamento, nem me cabe isso, a não ser como exemplo para pensar na minha própria vida. Em princípio, acho estranho que algo (dieta) esteja orientado para o bem físico mas acabe criando discórdias. Mas também sei que inveja rola muito nessas situações.

Fico com pena. E, pensando em mim, acho que preciso sinceridade, firmeza e delicadeza com as pessoas quando me oferecem coisas, sabendo que estou de dieta. Noutro dia, uma pessoa da minha família foi à minha casa, levando doces pesadíssimos. Minha primeira reação foi ficar inicialmente com um pouco de raiva, vendo nisso uma "sabotagem" à dieta minha e da minha mulher. Mas, no fundo, as pessoas (pelo menos a maioria) não fazem isso por mal. Cabe a mim conversar com sinceridade e cordialidade, explicando que nesse momento é muito importante para mim manter minha reeducação alimentar e que, se possível, para ela me ajudar não me trazendo tentações rs.

O exemplo daquela mulher me recorda que o amor entre os familiares precisa estar em consonância com outros objetivos da vida, pelo menos em linha de princípio.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

O verde amigo


Uma das rotinas que decidi adotar essa semana foi introduzir uma fruta/verdura/legume em cada refeição e lanche. Isso me levou a tentar elaborar saladas que eu nunca tinha preparado, mesmo sem me inspirar na internet.

Ontem, minha última refeição do dia foi essa salada aí, com 150g de batata cozida, 100g de carne assada, 1 colher de sopa de molho para salada, pouco queijo parmesão e pouco milho. Uma refeição de 10 ProPontos do Vigilantes do Peso.

Valeu muito a pena. Estava uma delícia. Estou me acostumando a ter o alface como grande aliado. Viva o verde!

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Descoberta do dia: nova salada Venezia, do Spoleto. Cerca de 5 ProPontos do Vigilantes do Peso


Experimentei essa salada do Spoletto, da nova coleção "Revolução Verde". Com mix de folhas, camarão, bacon, tomate seco, milho e molho mel e mostarda, com um envelopinho de queijo parmesão. Adorei!! Simplemente delicioso!! Na medida certa. No meu caso, que estou fazendo Vigilantes do Peso, foi um almoço bem leve (estimo em apenas 5 pontos, de um total de 46 pontos que preciso consumir ao longo do dia). Vou experimentar com certeza as outras saladas!

O único ponto negativo é que não apliquei hoje minha resolução da semana de distribuir melhor minha alimentação ao longo do dia, para não concentrar a maior parte à noite. A essa altura, era para eu ter consumido 26 pontos, mas só comi 20 pontos.

Acho que vou consumir um sorvete Cornetto (7 pontos). Não só porque tá um calor absurdo aqui no RJ, mas também para avançar na minha reeducação alimentar. É que, no meu inconsciente, dieta significa sacrifício e comida sem graça. Mas se eu consumir controladamente guloseimas e se isso não afetar meu processo de emagrecimento, vou sair fortalecido na minha vontade em permanecer com essa vida mais saudável de escolhas inteligentes.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Duas novas rotinas para uma reeducação alimentar sustentável

Ser resoluto sim!

Tomei como resolução dessa semana:

1. Distribuir melhor meu consumo diário (pontos no Vigilantes), não deixando para comer muito à noite, pois não tenho conseguido e, consequentemente, tenho comido menos do que deveria;

2. Incluir alguma verdura/legume/fruta em TODA refeição que eu fizer, inclusive os lanches. Já vinha fazendo isso nas refeições importantes, mas não nos lanches. Então, a partir de agora, sempre que eu vou comer, estou me perguntando: "Cadê o verde?"

Ontem, primeiro dia da semana, não consegui, mas identifiquei quais as dificuldades. Hoje, me planejei melhor e estou conseguindo.

Mas o fato de ter consumido mais nessa primeira parte do dia (comi 26 pontos, sendo que nunca tinha passado de 22 pontos nas outras semanas, um aumento de mais de 20%) está me deixando com um certo medo. Ficarei saciado durante a noite? Será que não vai ficar muito difícil?
A resposta racional é que tudo estará bem, até porque têm sobrado pontos. Ah, mas é uma pena que não sejamos tão racionais. Ficarei atento porque esse medo irracional pode me provocar a falsa sensação de fome (que não é fome, mas apenas vontade de comer por causa da ansiedade).

Acho que esse é o maior aprendizado que tenho tirado dessa reeducação alimentar: grande parte do sucesso se deve ao autoconhecimento, atenção sobre os sinais do corpo e planejamento de como chegar onde quero.

Se você quer emagrecer... tem que comer! O segredo da saciedade constante.


Noutro dia, eu estava na cozinha do meu local de trabalho e um colega passou por mim, indo ao banheiro. Ele me viu sentado, tendo à minha frente apenas um pote com salada. É que meu prato principal estava ainda no microondas. Quando ele retornou do banheiro, me viu comendo normalmente, e disse:

- Ah, bem! Achei que você só ia comer salada...
- Que isso! - disse eu. Se eu só comer salada, não emagreço!

Sabe aquela hora em que você diz uma coisa, e a outra pessoa leva alguns microssegundos para processar a informação enquanto fica com uma cara de surpresa? Foi o que aconteceu!

Para mim, essa foi uma das principais "descobertas" nesse início de reeducação alimentar: ficar sempre saciado é fundamental. A saciedade evita que eu "caia de boca" em alguma comida não planejada, torna todo esse processo de reeducação mais prazeiroso.

Estou usando essa informação a meu favor, como estratégia para não perder o rumo da minha dieta (reeducação alimentar). Há três momentos do dia em que sei que estarei mais suscetível a comer por impulso: 1) na hora que saio do trabalho e passo por uma lanchonete onde já comi muito sorvete (perto das 15h), 2) quando chego à rodoviária na minha cidade e passo por outra lanchonete onde já comprei muito biscoito (perto das 17h) e 3) quando as crianças finalmente dormem e eu posso relaxar um pouco em casa (perto das 21h).

Então, o que tenho feito? Simples. Minha estratégia é comer algo que me dê saciedade alguns minutos antes de esses "gatilhos alimentares" dispararem. Não preciso encher a pança. Uma fruta, uma barra de cereal já ajudam. Com água, é ainda melhor. E assim, quando passo por essas situações, estou mais fortalecido para não cair. Tão simples, meu Deus, como foi que eu não pensei nisso antes!

Tiro disso tudo duas lições. Uma, que é o assunto desse post, é sempre alimentar meu corpo antes de a fome colocar as garrinhas de fora. Outra é que o autoconhecimento, a atenção sobre os sinais do corpo, o pensamento estratégico devem fazer parte da minha nova rotina, até que tudo isso vire hábito.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Um bacalhau inesperado. E a dieta... está ótima!

Muito azeite, muito sabor e a dieta vai bem

Ontem, inesperadamente fui parar num restaurante português. Decidi curtir. Como o prato servia várias pessoas, decidimos coletivamente por bacalhau. Dentre as opções de fritos ou assados, por causa da minha dieta, escolhemos o assado. Então, a escolha foi um bacalhau a gomes sá. Estava absolutamente divino (conceito redundante, mas tudo bem).

Como vinha já com muuuito azeite, considerei que meus pontos do Vigilantes do Peso estavam estourados, e, feliz da vida, decidi que no resto do dia comeria só alimentos zero-ponto, como verduras, legumes e frutas. No final da noite, para não enfraquecer minha resolução -porque a saciedade é fundamental-, comi duas torradas Bauducco integrais.

Foi um passo muito importante na minha reeducação alimentar. Estou conseguindo aplicar a filosofia dos Vigilantes, que é comer de tudo, mas monitorando a cota diária e planejando as refeições. É uma questão de senhorio de si mesmo e foco nas finalidades das coisas. Fosse no passado, teria chutado o balde, como se diz aqui no RJ. Parece que estou avançando, não só na balança, mas na mente.

sábado, 24 de janeiro de 2015

Comer como um boi para emagrecer


Enquanto eu caminhava para meus nada gloriosos 108kg, minha esposa insistia comigo, dizendo para eu comer verduras. Eu desdenhava, dizendo que verduras são "a comida da minha comida". Ou seja, a verdura é comida do boi e o boi é minha comida (deu pra entender, né...rs).

Mas esse argumento "engraçadinho" só servia para eu driblar o óbvio. E, pouco a pouco, de piadinha em piadinha, fui ganhando... a forma de um boi. Precisei chegar ao meu pior para entender que o boi estava certo e o burro era eu!

Agora, sim, estou comendo como um boi!  Acabei de fazer uma salada aqui do meu jeito (fotinho abaixo). Levinha, saudável, para terminar bem um dia super bom de reeducação alimentar. Em poucos dias, já estou tendo até água na boca quando vejo uma salada. Isso é reeducação alimentar! Muuuuu-ito bom!


quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Documentário na Netflix: "Fat, Sick and Nearly Dead"


Vi o documentário "Fat, Sick and Nearly Dead", que foi sugerido por uma pessoa da rede social FatSecret. Você pode assistir no Netflix. Assistir documentários assim podem ser úteis para reflexões e para motivação.

O que o cara fez me lembrou um spa, pois saiu da rotina dele, mudou de ambiente e se impôs uma dieta. A diferença é que fez isso "sozinho" (embora não estivesse de fato sozinho. Teve uma equipe junto dele. E fico pensando cá comigo quem foi que patrocinou...).

Não gosto muito do tipo de dieta que ele utilizou. Não me parece natural, nem saudável, ficar só tomando suco. Prefiro pensar em alimentação equilibrada. Tomar só suco talvez seja válido para um "choque" no organismo, ou para uma dieta de desintoxicação, ou para perda rápida de peso por alguma necessidade (uma cirurgia, por exemplo). Mas creio que tenha que ser feito com prazo determinado (no filme, o cara fez em 60 dias) e com uma finalidade específica.

Estou cada vez mais convencido de que o meu foco deve ser reeducação alimentar, e não propriamente dieta. Tenho aprendido no Vigilantes do Peso a comer de tudo, mas com inteligência. Parece-me muito mais sustentável a longo prazo do que dietas malucas ou muito exigentes.

sábado, 10 de janeiro de 2015

Me associei ao Vigilantes do Peso



Depois de uma semana fazendo dieta por conta própria, me associei hoje ao Vigilantes do Peso. Subi na balança e estava com 105,4kg. Uma semana antes, estava com 108kg. Perdi bastante na primeira semana, embora tenha me pesado em balanças diferentes e, por isso, não vou considerar que perdi 2,6kg. É até possível, porque no início perde-se muito peso, mas não posso afirmar com certeza.

Participar das reuniões do Vigilantes é muito importante. Primeiro, porque estamos nos encontrando com pessoas que querem o mesmo e, como já escrevi aqui, isso é fundamental. Mas também porque recebemos dicas muito valiosas para o processo de emagrecimento, podemos tirar algumas dúvidas e, claro, temos que encarar a balança na frente de uma pessoa que está nos apoiando. Com certeza, quem se associa a um grupo como esse perde mais peso do que quem faz dieta sozinho.

Além disso, os associados recebem muito material e podem comprar outros muito interessantes. Vale a pena conhecer!

Não seria legal ficar postando o material deles aqui. Precisamos respeitar os direitos autorais e o investimento que as pessoas fazem. Mas o conhecimento que vou adquirindo, mesclado com minhas percepções e outras fontes de informação, isso sim eu vou colocar aqui. Como já escrevi, quero aqui em primeiro lugar fazer os registros que eu acho que serão úteis para eu mesmo consultar no futuro. E, em segundo lugar, compartilhar com outros que querem o mesmo que eu ou que simplesmente torcem por mim e estão me acompanhando.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Rede social para quem quer fazer dieta e perder peso

Logo do FatSecret.

Já andei procurando muito na internet sobre redes sociais voltadas para pessoas que querem perder peso. Incrível como falta isso no Brasil! Mas finalmente encontrei, é o FatSecret. É uma rede social americana, mas que tem uma versão no Brasil.

Acho que é fundamental você estar com pessoas que querem o mesmo objetivo. Isso ajuda muito na motivação, na troca de informações. Para tudo na vida, o grupo social é um apoio fundamental (para a religião temos a Igreja, para curtir um artista temos o fã clube, para concursos públicos temos fóruns e comunidades, etc.) e não seria diferente para quem quer deixar de ser gordo ou ganhar peso.

Nessa rede social, temos a interação entre membros. Você também pode registrar os alimentos que consome, e ele vai calculando as calorias que você ainda pode ingerir (não confundir com a pontuação do Vigilantes do Peso!). Também pode compartilhar receitas, ver informações nutricionais de alimentos a partir de um banco de dados alimentado pelos próprios membros, registrar e compartilhar seu peso e muito mais.

Vale a pena conhecer.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Comer na rua, dieta e reeducação alimentar

Comer na rua e falta de informação nutricional

Comecei a dieta no domingo passado (04/01/2015). Hoje, foi o primeiro dia em que comi na rua, por causa do trabalho. Muito difícil identificar direitinho os pontos do Vigilantes do Peso nesse caso, porque ainda não estou acostumado com as porções que utilizo.

Senti que não tinha "domínio" sobre as informações da minha refeição, porque não sei peso, pontos, etc. Isso me chateou bastante e acho que acabei comendo menos do que deveria.

Mas isso passa. Sei que aos poucos vou me habituar com as porções. Na verdade, tudo aqui é questão de hábito e, no fundo, não estou de dieta, mas sim em processo de reeducação alimentar (o que implica em novos hábitos). Na medida em que a reeducação alimentar for avançando, também saberei fazer escolhas melhores sem ansiedade para não fugir da "dieta".

domingo, 4 de janeiro de 2015

Aplicativo para calcular pontos do Vigilantes do Peso e monitorar emagrecimento

Logo do aplicativo ProTracker Plus


Depois de muito procurar, achei o aplicativo ideal para mim. Chama-se ProTracker Plus, que encontrei na AppStore por U$ 4,00. Ele ajuda no monitoramento do peso e calcula a pontuação adotada pelo Vigilantes do Peso (dos alimentos consumidos, dos ProPontos Ativos que se obtém com exercícios e dos ProPontos Extras semanais).

Já comecei a lançar os dados e isso ajuda a ter mais consciência daquilo que estou consumindo. A facilidade de ter sempre à mão um aplicativo para fazer registros, calcular o que já consumi, calcular os pontos a partir de informações nutricionais dos rótulos dos produtos, etc., é fundamental para mim.

Chega de ser gordo!






Esse não sou eu. Mas retrada meu estado de espírito hoje.


Cheguei no meu limite. Alcancei os nada invejáveis 108kg aos 40 anos, 31kg acima do meu peso ideal.

Sinto dificuldade para respirar bem à noite, para fazer coisas simples como calçar um sapato, dores em algumas articulações. Mas o que mais me dói é não ter disposição para curtir meus filhos e minha esposa. Sempre cansado, sempre desanimado, sempre prostrado.

Por isso, fiz a resolução de emagrecer. Começo hoje uma dieta. Mais, começo hoje um programa de reeducação alimentar. Vou usar por uma semana a dieta dos Vigilantes do Peso e, se minha resolução se mantiver nesses primeiros dias, vou me associar ao Vigilantes e levar a sério essa mudança.

Criei esse blog para registrar minha experiência para eu mesmo consultar no futuro. Mas deixo ele público porque acho que, se por um lado alguém nesse mundão de Deus pode aproveitar o que eu compartilho, por outro lado isso me expõe e me incentiva a não passar vergonha diante das pessoas que me conhecem.

Atualizações por E-mail

Socialize e fique mais forte!

As pessoas conseguem melhores resultados quando estão conectadas com outras que procuram os mesmos objetivos. Aproveite esse espaço para interagir com quem está na mesma luta! Você pode usar os comentários no final de cada postagem aqui do blog ou curtir a página do Facebook e interagir por lá. Conecte-se e fique mais forte!

Arquivo do blog