quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Seu melhor professor é o seu último erro


Quantas vezes eu comecei uma dieta e parei no meio do caminho! Depois de tantas frustrações, eu já começava uma nova dieta com aquela sensação de derrota, sabe. Em poucos dias, lá estava eu de novo tenso, cara emburrada, lutando contra os meus impulsos, tentando esquecer todas as imagens de coisas gostosas que vinham à minha mente. E pior: já estava convencido de que desistiria de novo.

Talvez uma das coisas mais importantes que eu aprendi na minha reeducação alimentar definitiva foi olhar os meus erros de outra maneira. Ao invés de vê-los como sinal de fraqueza da minha parte, adotei uma postura mais construtiva e passei a compreender que o erro faz parte de todo processo de aprendizagem. E a reeducação alimentar é um tipo de aprendizagem!

O erro é ocasião para aprendermos mais sobre nós mesmos. Quando eu cometo um erro quanto à minha alimentação, agora procuro identificar as circunstâncias que o acompanharam: como eu estava me sentindo, com quem eu estava, em que horário do dia isso aconteceu. Posso descobrir padrões e gatilhos alimentares, e essa descoberta é muito valiosa para criar estratégias.

Por exemplo, analisando os meus momentos de maior tentação, identifiquei que eles aconteciam geralmente à noite, depois de as crianças dormirem, com a casa silenciosa.  Percebi que nesses horários eu me sentia relaxado, e aí vinha aquela vontade louca de comer de tudo.

BINGO! Descobri um padrão e isso foi importantíssimo para eu começar a virada em minha vida. A partir daí,pude pensar em estratégias novas: por exemplo, antes dos momentos do dia em que eu me sentia mais relaxado (como quando as crianças dormem), passei a comer alguma coisa saudável na quantidade suficiente para ficar saciado. Isso me ajudou demais a vencer os momentos de maior tentação, porque quando esses momentos chegavam, eu já não estava com fome e podia fazer escolhas mais inteligentes.

Quando adotei essa postura mais construtiva em relação ao erro, deixei para trás a sensação de intimidação que a possibilidade de errar me causava. E isso me deixou mais sereno, diminuindo também as tentações alimentares.

Então, uma dica que acho importante é cultivar uma boa relação com seus erros, aproveitá-los como ocasião de autoconhecimento para criar novas estratégias. É bom não errar; mas se errar, dê logo a volta por cima e aproveite o erro a seu favor, aprendendo dele!

- pense nas circunstâncias em que eles aconteceram: como você estava se sentindo, com quem estava, em que momento do dia ocorreram, o que você comeu, etc.
- quando pensar em todas as circunstâncias, identifique os padrões: há algo em comum entre eles que pode ser identificado como um padrão?
- elabore estratégias para a próxima vez que o padrão aparecer.

Depois me conta como foi

Se você gostou dessa postagem, vai simplesmente adorar essa: Como lidar com a compulsão na dieta: identificando gatilhos alimentares e criando estratégias de sucesso

8 comentários:

  1. Nunca tinha parado pra pensar nas situações que me faziam fracassar e, ao ler o texto, um filme passou em minha cabeça e verifiquei que realmente há um padrão definido, no meu caso específico, identifiquei que são as companhias/amigos intimos. Retirar é impossível,vez que sou extremamente social, mas vou começar a pensar em alguma estratégia que não me deixe sucumbir, tampouco ficar isolada. Realmente tudo na vida é questão de escolhas e limites. Que Deus me dê forças pra continuar no foco!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Graziele. Penso como você. Se queremos uma vida mais saudável, não é para tirar nada do que é bom, e as companhias e amigos são coisas pra se guardar debaixo de sete chaves! Uma coisa que faço quando vou sair com eles é comer algo pouco calórico antes (uma salada, um suco verde com bastante fibra, etc). Na hora em que estou com eles, fica mais fácil fazer escolhas alimentares mais adequadas, porque já estou meio saciado. Mas pensa mesmo nas estratégias que vc vai adotar, depois me conta aqui!

      Excluir
  2. Excelente texto Danilo, parabéns! É um incentivo pra mim e pra todos nós! Fiquei pensando aqui se essa ideia de aprender com os erros não serve pra tudo na vida! Acho que sim!

    ResponderExcluir
  3. Vou te acompanhar, Danilo!
    Parabéns pela determinação!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Leila. Se quiser, compartilhe também a sua experiência. Sinto que é socializando que a gente consegue ser mais forte!

      Excluir
  4. Olá Danilo, sou do Fatsecret, e vim aqui dar uma espiada no seu blog, muito bom e muito esclarecedor.
    Tenho problemas ainda, mas nenhum relacionada a comida que não me faz falta, mas a cerveja...ah essa é o gatilho e a bala na minha balança!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michelle. Para quem não abre mão da cervejinha, há uma dica. Usar a regra 1 por 1. A cada copo de cerveja, tomar também um copo de água (de preferência, com gás, se vc gostar). Se vc experimentar essa dica algum dia, me conta como foi o resultado? Tenho muita curiosidade para saber. Eu não posso aplicar a mim, pq não sou chegado a bebida alcoólica.

      Excluir

Atualizações por E-mail

Socialize e fique mais forte!

As pessoas conseguem melhores resultados quando estão conectadas com outras que procuram os mesmos objetivos. Aproveite esse espaço para interagir com quem está na mesma luta! Você pode usar os comentários no final de cada postagem aqui do blog ou curtir a página do Facebook e interagir por lá. Conecte-se e fique mais forte!